Adios Comandante…

Posted: Terça-feira, Fevereiro 19, 2008 in Uncategorized

Era de Fidel chegou ao fim…

Não teço comentários sobre a sua forma de governar e nem os seus ideias.

Estamos perante meio século de poder, num país como Cuba, onde hoje em dia todos conhecem pelas suas maravilhosas praias paradisiacas e pelo embargo do EUA.

Poderá se dizer que Fidel é uma figura profundamente carismática, profundamente ligado às actividades populares, onde sempre nos presentiou com os seus longos discursos.

Quem recorda Fidel a rir depois de confundir Uruguai e Paraguai, num discurso em 2003, percebe o àvontade com que geri a sua carreira política. Entre 1940 q 1950, foi um grande opositor do ditador Fulgêcio Batista, que esteve no poder entre 1933 e 1959, e em 1953 liderou um ataque (fracassado) ao quartel Moncada, mas que lhe deu visibilidade nacional, como uma figura de ideáis nacionalistas, antiimperialistas e reformistas.
Este ataque garantiu-lhe uma visita a tribunal, onde foi julgado e condenado a 15 anos de prisão, onde proferiu o seu discurso “A história me absolverá”. Dois anos depois saí da prisão devido a uma amnistia e exilou-se no México prometendo voltar a Cuba e lutar contra o ditador Batista.
Che Guevara com Fidel CastroEm 1956, Fidel com mais um grupo de rebeldes, entre eles o argentino mais conhecido no mundo Ernesto Che Guevara, entram em Cuba e escondem-se na Serra Maestra onde se organizam numa guerrilha. Após a queda do Exército de ditador, em 1959, Fidel assume o poder na Ilha de Cuba, sendo primeiro-ministro de 1959 a 1976 e Chefe do Governo e Primeiro- Secretário do Partido Comunista, desde 1976.

Na outra margem, os Estados Unidos (EUA) cortaram relações diplomáticas com Cuba e deram início ao embargo econômico ao país(que dura à 44 anos), que dura até aos dias de hoje. Várias foram as tentativas de derrubar o regime cubano, mas todas elas fracassadas.

Fidel atingiu o poder recebendo a confiança da grande maioria dos cidadãos cubanos, a quem prometeu restaurar a Constituição de 1940, criar uma administração honesta, restabelecer liberdades civis e políticas e realizar reformas moderadas. Contudo, o seu governo recebeu dos críticos várias acusações de autoritarismo, radicalismo e violação dos direitos humanos, baseadas em acusações de perseguição a religiosos e homossexuais.

Fidel a discursarA chegar ao poder, Fidel procurou nacionalizar comércio e indústria nacional, realizou a reforma agrária e expropriou todos os negócios norte-americanos e as grandes propriedades rurais.

Durante estes 49 anos, muitos foram os cubanos que tentaram sair do país, através de processos legais e ilegais, por estarem contra os governo de Fidel. Arriscaram as suas vidas, travessando condições de limite de sobrevivência, nomeadamente através do mar tentando atingir a costa norte-americana, pis segundo um acordo entre os dois países, qualquer cidadão cubano que pise o solo norte-americano tem o direito à cidadania do país.

A maior parte dos cubanos que se encontram viver fora da Ilha estão organizados em movimentos anti-Fidel e defendem reformas democráticas e esperam a queda do regime. É de lembrar também, que a maior parte das pessoas que actuaram contra o governo de Cuba foram condenados à morte.

Momento:

Um contributo de Che Guevara

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s