Eu vs Contacto Físico

Posted: Segunda-feira, Julho 21, 2008 in Pensamentos
Tags:

Ora…

Vamos lá ver se nos entendemos. Eu não tenho medo de gente e muito menos de pessoas que considero amigos. Portanto, estou a incluir uma vasta gama de pessoas que fazem parte do meu universo e de quem gosto muito.

Quando falo que não gosto de contacto físico, não estou a dizer que tenho fobia aos toques. Gosto muito de abraçinhos e beijocas boas das pessoas que me são próximas, e aqui excluo uma data de pessoas que conheço por acaso e também todas as que nunca vi na vida.

O contacto físico é muito importante para mim, e talvez por isso seja tão niquenta com os toques, é óbvio (acho eu!) que não gostamos de ser amassados, palpados ou apalpados (lolol) por gente que nos é estranha.

E eu dispenso completamente esse contacto. Agora… isso não quer dizer que seja antisocial! Até porque adoro conhecer caras novas, mas é claro que não vou saltar para os braços dessa pessoa.

Não nos pudemos esquecer que o contacto físico não é algo separado do contexto em que está a acontecer algum fenómeno social, isto é: os lugares, quem são as pessoas que estão a estabelecer uma comunicação e quais as suas relações.

Para mim, a distância socialmente aceite é de um braço esticado para a frente, mais do que isso é porque as pessoas são-me mais intimas.

As Mãos

Pois é… as mãos são sem dúvida, para mim, um meio de comunicação tão ao mais poderoso que os olhos, pois elas transmitem emoções, basta que estejamos atentos para conseguirmos entender as suas pistas.

Estou a excluir o ASPECTO das mãos (que apesar de ter a sua importância não conta para o assunto).

Falar com as mãos é um complemento da comunicação. O tacto é assim um dos principais veículos de emoções e da personalidade de cada um e quem não sabe gesticular torna a sua postura fria e inexpressiva. Há quem não saiba gesticular, para outros é tão natural que nem dão conta que o fazem.

Mas gesticular não é o mesmo que tocar, agarrar, puxar ou simplesmente acariciar (por acaso ou intencionalmente) alguém.

Sendo as mãos uma parte importante para a comunicação, não prescindo do conceito que é através delas que recebo e ajo sobre o Mundo. Desta forma, não tolero que estranhos as agarrem. É também claro, que ao praticar desporto ou uma actividade que necessite de um parceiro é inevitável que esse contacto se faça. E posso garantir, que aqueles que são como eu, fazem um esforço danado para tratar tudo com muita naturalidade, mesmo que sintamos sempre algum desconforto. Chama-se hábito, quando já não nos faz confusão que x ou y nos agarrem.

Quanto ao resto do corpo… é complicado! Pois há partes que cada um considera mais intima. E todos nós sabemos, pelo menos onde socialmente pudemos tocar (nada de ajavardar a conversa).

É simples! Não há nada como respeitar o espaço dos outros, pode-se mesmo comparar com a falta de respeito que é entrar na casa-de-banho ou quarto sem bater à porta!

Será que me consegui explicar!?

Não sou um bicho do mato, mas que não gosto de muitos “agarranssos”!

Beijocas à distância para todos!;)

A.C.

Comentários
  1. lol…toda a minha vida achei q se podia dizer muito de laguém só olhando para as maos..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s