Amo-te boca de trapo

Posted: Segunda-feira, Setembro 29, 2008 in Fotografias, Pensamentos

Soestrova no Natal de 2007

Soestrova no Natal de 2007

Eras pequenino quando vieste para a nossa casa. Uma bolinha de pelo que trazia no bucho uma casca de meloa! És tão meu amigo… gosto tanto de ti! Fazias-me companhia em casa durante as manhãs que só ia para a escola pelas 14h00, ia-te passear e punha-te na carrinha de um amigo e iamos até à Cruz-de-Pau (LOLOL), se falasses e contasses estava bem lixada! Mas mesmo que falasses jamais contarias e sabes porque é que eu o sei!? Porque nos tempos que não passavas do primeiro degrau lá de casa eu chamava-te e tu subias, deitasvas-te na minha cama comigo e fazias-me companhia, roubavas-me o cobertor e eu ficava danada! E tu sempre que os pais chegavam a casa não te atrevias a subir nem um degrau! Lembras-te quando decidiste ir brincar com a tinta das telhas!? Ficaste todo pintado de laranja… eu e o pai tivemos que te enfiar num alguidar e lavar-te com água e sabão e diluente!! Tinhas as unhas todas pintadas!!! E quando corrias na praia até te perdermos de vista, apenas as gaivotas levantavam voo porque tu parecias uma bala a correr sem parar. E quando paraste decidiste ir fazer xixi em cima do únio homem que se encontrava no areal a ler o jornal!! Que vergonha! E recordaste quando por tua causa fiquei fechada na varanda do quarto!? Quando me fugias… e quando me ignoravas!? Sabes nunca me vou perdor por te ter aleijado… sinto que fui eu que iniciei essa tua sensibilidade cardiaca! Por favor meu fofo mantém-te vivinho!! Porque preciso de te ouvir ganir pela manhã, porque preiso que me arrahes as pernas para ir à rua, porque preciso que faças asneiras… Sim porque sempre que eu saía de casa tu fazias buracos no quintal e quem levava nas orelhas era eu por ter saído! CHIBO!!! MAs eu amo-te muito! Desculpa pelos dias em que estou longe, perdoa-me se todos os dias vou trabalhar e deixo-te sozinho! Por favor… fica benzinho! Ana Coelho

Anúncios

Os comentários estão fechados.