Dep…, Frust… e Tris…

Posted: Terça-feira, Setembro 1, 2009 in Música, Pensamentos, Videos
Tags: ,

Ter 27 anos e sentir que vivo no podre da sociedade é realmente animador!

A desvalorização que fazem do nosso empenho e dedicação é anunciado aos ventos sem qualquer tipo de pudor! Viver num país onde as desculpas mais miseráveis servem para magoar quem dá de si, mais do que realmente deveria, é sem qualquer restea de dúvida uma prova de incompetência de se ser social.

Usar as pessoas até ao seu limite é tão humilhante como escravizar. Tratar do ser humano sem um pingo de respeito não é só falar mal… muitas das vezes passa pela própria desumanização laboral que utiliza o sorriso como um esfregão que deveria apagar!

Querer acreditar em ideais e ideologias que servem de cobertura para maus tratos e aproveitamento é a mesma coisa que me leva a acreditar que não vale apena falar da teoria do Big Bag com a minha avó.

Olhar à volta e ver a indiferença pelas palavras proferidas, pelos gestos impensados e agir como se o “outro” nada sentisse é realmente desencorajador.

Nisto, juntamos as “pedrinhas” todas e percebemos que não pertencemos a esta sociedade, a este movimento, a esta ideologia e muito menos a esta pátria.

Hoje sinto-me oficialmente deprimida, frustrada e triste.

Ana Coelho 

Radiohead – Creep

When you were here before,
Couldn’t look you in the eye
You’re just like an angel,
Your skin makes me cry

You float like a feather
In a beautiful world
I wish I was special
You’re so fuckin’ special

But I’m a creep,
I’m a weirdo
What the hell am I doin’ here?
I don’t belong here

I don’t care if it hurts,
I wanna have control
I want a perfect body
I want a perfect soul

I want you to notice
when I’m not around
You’re so fuckin’ special
I wish I was special

But I’m a creep
I’m a weirdo
What the hell am I doin’ here?
I don’t belong here, ohhhh, ohhhh

She’s running out again
She’s running out
She run run run run…
run… run…

Whatever makes you happy
Whatever you want
You’re so fuckin’ special
I wish I was special

But I’m a creep,
I’m a weirdo
What the hell am I doin’ here?
I don’t belong here

I don’t belong here…

Comentários
  1. Mãe diz:

    Respira fundo e acalma, todas as situações são passageiras tudo está em constante transformação, um dia é diferente do outro e sei que tu crias o teu presente.

    Beijinhos

  2. Inês Gonçalves diz:

    Infelizmente é assim… fazemo o qu podemos para colaborar e até para ajudar os nossos superiores, e é assim que eles nos agradecem. É assim em todo lado, não há quem escape! Nós somos mesmo a geração “à rasca”, damos tudo e levamos pontapés… mas não há-de ser sempre assim.

    E eu só espero que um dia, quando estivermos nós na mó de cima – sim amiga, havemos de lá chegar, acredita! – que nos lembremos das coisas que nós próprios sofremos um dia para sermos capazes de fazer um pouco melhor e diginificar um pouco mais os “putos” que vierem a seguir a nós.

    Beijoca e… anima-te caralha!!! O Avante é já este fim-de-semana😀

  3. Ana Coelho diz:

    Pois é amiga, a mim nada hoje me anima. Já recebi uma sms do Joca com anedotas e tudo!!
    Hoje estou mesmo tipo avestruz… buraco e cabeça lá metida!
    Enfim é a PUTA DESTA VIDA!

  4. Inês Gonçalves diz:

    Como dizem os Ska-P e muito bem “PUTO DINERO, PUTO DINERO”… vil metal!

  5. Kabra Karkoviana diz:

    Um dos ensinamentos básicos do budismo é a impermanência das coisas. Sem aceitar o facto de que tudo muda, não podemos encontrar a perfeita tranquilidade. Mas, infelizmente, embora seja verdade, temos dificuldade em aceitá-lo. Por não conseguirmos aceitar a verdade da impermanência é que sofremos. Em consequência, a causa do sofrimento é a não aceitação dessa verdade. O ensinamento da causa do sofrimento e o ensinamento de que tudo muda são, pois, dois lados da mesma moeda. Em termos subjectivos, este ensinamento é simplesmente a verdade básica de que tudo muda.
    Isto para dizer, que esses sentimentos e essa situação que estás a viver são impermanentes.
    Ouve os sábios conselhos da tua mãe🙂

    Tashi Delek (may many good things come to you)

  6. Ana Coelho diz:

    Depois disto não tenho mais argumento algum para estar triste!
    Hoje as coisas estão bem melhores!
    Bigada… do fundo do meu coração!

  7. Inês Gonçalves diz:

    Ah, ah!!! Eu sabia! É nestas coisas que nós somos mesmo parecidas, gaja! Bate como força… mas depois passa, e siga pa bingo!

    Beijocas orgulhosas😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s