Será que temos que ver tudo????

Posted: Terça-feira, Setembro 1, 2009 in Crónicas, Música, Videos
Etiquetas:, , ,

No outro dia uma amiga falou-me que nos últimos dias que tinha ido a Barrancos passar o fim-de-semana e que depois foi assistir aos Touros de Morte… fiquei assim a modos que… vá… chocada!

Outra reacção não seria de esperar de mim, mas ela disse uma coisa que me fez pensar:

“Nesta vida tem de se ver tudo!”

Eu pergunto: Será!?

Não estaremos nós a alimentar estas tradições estúpidas?

Não estaremos nós tão confusos que não nos apercebemos que estamos a causar dor por espectáculo!?

Voltamos à idade medieval!?

NÃO AOS TOUROS DE MORTE…. NÃO ÀS TOURADAS… NÃO!

Vergüenza – SKA P

textos:

[¡Torero asesino!]

Entre el Atlántico y el Mar Mediterráneo hay una tierra de mar y mucho sol
que desde antaño se viene practicando una asquerosa y sucia tradición
un individuo vestido de payaso tortura y martiriza hasta la muerte a un animal
y el graderío estalla de locura cuando el acero anuncia su final.

Banderilleros sedientos de violencia van torturando sin ninguna compasión
los picadores prosiguen su matanza acentuando punzadas de dolor
malherido, embiste con bravura contra el frío del acero que destroza su interior
agonizando en un charco de sangre el puntillero remata la función

FESTEJO CRIMINAL, VERGÜENZA!!!

Torero, eres la vergüenza de la nación
Torero, eres la violencia en televisión
Torero, eres asesino por vocación
Torero, me produce asco tu profesión

[¡ay, ay ay!]

Llamar cultura al sadismo organizado, a la violencia, a la muerte o al dolor
es un insulto a la propia inteligencia, al desarrolo de nuestra evolución.
Tu indiferencia les hace poderosos, manifiesta tu repulsa a la fiesta criminal
no colabores con un juego de dementes, taurinos al código penal.

FESTEJO CRIMINAL, VERGÜENZA!!!

Torero, eres la vergüenza de una nación
Torero, eres la violencia en televisión
Torero, eres asesino por vocación
Torero, me produce asco tu profesión

[¡Olé, olé, olé, olé, olé, olé, olé, olé!]

FESTEJO CRIMINAL, VERGÜENZA!!!

Anúncios
Comentários
  1. Inês Gonçalves diz:

    EH PÁ, QUE FIIIIIIIXE!!!! Grande canção!

  2. Inês Gonçalves diz:

    Amiga, concordo contigo… acho que não temos de ver tudo, e touradas é daquelas coisas que eu realmente me recuso terminantemente a ver!

    Antes ver concertos do Marco Paulo e Quim Barreiros, lololololol…

    Aliás, quando foi a tourada de reabertura da Praça de Touros do Campo Pequeno, eu estive lá… lá fora, a protestar, claro!!! Eu e a minha gaita-de-foles, ihih…

  3. Ok, fui eu que fui a Barrancos.
    Não sou fã de touradas e muito menos de morte, aceito que as pessoas fiquem chocadas. Mas na minha opinião é uma tradição cultural que vale a pena ver, a forma como as pessoas vivem a festa, a música, o calor, as sevilhanas, a mistura portuguesa/espanhola dos barranquenhos, foi interessante de ver.

  4. Ana Coelho diz:

    lolol!
    Oh Carlita, não interessa quem é que disse aquilo mas já que assumiste que foste tu, responde:
    Se não és fã de morte como conseguiste tu compactuar com tal triste espectáculo sem que aquilo te revoltasse?
    Quanto à tradição cultural? Epá a minha tradição cultural é portuguesa e não há touros de morte em todo o Portugal. Depois sim podemos considerar uma tradição, na minha opinião obsoleta… e se formos dar grande valor às tradições a humanidade não avança… e com comportamentos destes muito menos.
    Bem também era tradição escravizar, torturar, matar à pedrada, enforcamentos e guilhotina. Achas bem que o argumento de tradição justifica que estes actos continuassem numa sociedade onde se apregoa a justiça e a dignidade?
    Este comentário não é para ti directamente é para todos que a meu ver se justificam com argumentos completamente inválidos. Eu conheço-te e considero-te humana, mas não deixa de me chocar tais palavras e premissas.
    Já agora tradição portuguesa/espanhola é andar os dois povos à paulada… também achas que deveria se manter viva a tradição!?
    beijocas
    P.S. Prepara-te porque este post vai ser polémico (para os dois lados)

  5. Aceito todos esses argumentos, apenas disse o que senti com a ida a Barrancos. Claro que fiquei chocada com a morte do touro, que é horrivel e só apetece esganar o toureiro, mas por outro lado achei interessante tudo aquilo que se passa à volta da tourada. Para mim acho que vale a pena ver, quer se seja a favor ou contra a tourada.

  6. Inês Gonçalves diz:

    Pois é meninas, estes assuntos trazem sempre muita polémica! Mas, quanto a mim, podem-me dizer o que quiserem porque para mim não há argumento que me faça ver as touradas como algo bom… muito menos a questão da “tradição”!

    Aliás, há uma coisa que me revolta: já que falamos de tradição… porque é que Portugal é um país com tantas tradições tão antigas e tão fixes que se deixam morrer, e logo aquela que é a mais triste e sanguinária de todas é aquela que as pessoas tanto se esbravejam por manter?! Não arranjem desculpas para termos de continuar a suportar o espectáculo de um gajo vestido de palhaço mas que, na verdade, é um assassino (Ska-P!!!)! E, ainda por cima, o pessoal sente bué orgulho quando vê uma mulher ou um puto de dez anos a tourear… isso a mim ainda me dá mais voltas ao estômago!

    Por minha vontade, deixava de haver não só touradas mas também todo e qualquer espectáculo que utilize animais! Para mim, nem devia haver touros na arena nem que fosse só para dar voltas atrás do pano vermelho, porque isso é ridicularizar o animal! E digo-vos já que acho que é preciso ter uma grande coragem para ser forcado, mas também não apoio os forcados porque também eles ridicularizam o touro de alguma forma… para além de se ridicularizarem a eles próprios!

    E mesmo o circo… uma das coisas que eu mais adoro no Cirque du Soleil é o facto de eles não utilizarem animais. Aliás, os únicos animais que andam para lá são animais racionais e aos quais podemos chamar grandessíssimos animais de palco, porque são pessoas que, se for preciso, treinam 14 horas por dia para nos poderem presentear com aqueles espectáculos maravilhosos… e o mais importante de tudo: eles estão lá porque querem! É uma opção deles!

    Como todo o respeito pelas opiniões alheias: deixem os animais em paz! Ou então levem-nos para vossa casa e tratem-nos como se fossem da vossa família… é aquilo que eu faço com o meu cão!

    Beijinhos!

  7. Cyril diz:

    Perdon por no hablar portugues, pero dejo una contribución más bien “teórica” sobre el asunto del día, que retoma muchas cosa que ya dijó Ana. Tiene que ver con el concepto de tradición.

    Mi primer punto es que la tradición (cultural) es un objeto que está en PERPETUA EVOLUCIÓN, que no es nada igual a lo que existía hace 50, 100 o más años. Por tanto, no se puede aceptar la tradición como algo fijo, inmóvil.

    Después, hace falta entender que las sociedades, a lo largo de los años y décadas, VOLUNTARIAMENTE ABANDONAN algunas tradiciones que consideran reaccionarias o impiden ciertos avances. Por ejemplo, tradicionalmente en la casi totalidad de las sociedades, las mujeres son seres inferiores, que no tienen acceso a los mismos derechos que el hombre.

    Mi conclusión es entonces que, tomando en cuenta que hoy la sociedad en su conjunto está mayoritariamente en contra de esta tradición cultural, en ningun momento, el hecho de que se considere una tradición puede servir para justificar que todavía se permita.

    Ahora, habrá que aceptar que esta actividad es cruel hacia los animales, y creo que facilmente llegaremos a un consenso sobre esto. Entonces, si aceptamos que es cruel, y que no se puede justificar con el argumento de la “tradición cultural”, no nos queda más opciones que la de actuar a favor de su interdicción……

    Para terminar, voy a citar a George Orwell, quién en “Homenaje a Cataluña” (sobre la Guerra Civil en España en el 1936, del lado del POUM, el partido marxista anti-estalinista, que luchaba contra los fascistas de Franco) cuenta lo siguiente:

    “En un muro ruinoso descubrí un cartel del año anterior en el que se anunciaba que «seis extraordinarios toros» serían matados en la arena tal día. ¡Qué tristes eran sus pálidos colores! ¿Dónde estaban ahora los toros y los toreros? Ya ni en Barcelona había corridas. Por algún extraño motivo, los mejores matadores eran fascistas.”

    Aparte de esto, tengo una buena amiga a quien le encanta la tauromaquia, y bueno, es necesario mucha tolerancia reciproca para entendernos, pero los dos sabemos que con cada año que pasa, hay menos gente a quien le gusta, y que dentro de unos años o décadas, eso ya no existirá…

  8. Ana Coelho diz:

    Como alguns de vocês sabem eu e a Carla trabalhamos a 1 metro de distância e o nosso debate vai para além do mundo virtual.
    E há algo que quero dizer, pelo menos vou tentar…
    A violência foi aceite nas nossas sociedades há muito tempo, a nossa natureza barbara é algo que todos sabemos que por vezes se torna difícil de contrariar. Não quero com isto desculpar, minha mui humilde colega, apenas relembrar que estes “actos” (de não fazer nada, o que é estranho quando falamos no conceito de acto que vem de agir ou acção/fazer) são o produto bruto da sociedade em que vivemos.
    Quanto a mim penso que o desafio é contrariar a curiosidade, pois de certo que conhecendo a Carla sei que não passou tudo de curiosidade (mesmo que macabra).
    Será uma curiosidade aceitável? Pois aqui fica a grande questão… o que me surpreende não são aqueles, tais como os habitantes de barrancos, que foram educados no meio desta barbárie e que aos seus olhos estes actos de violência sangrenta é normal. A esses também temos que ser tolerantes, pois eu consigo entender que na terra dos meus avós se matem coelhos e galinhas de formas horrorosas sem qualquer tipo de desconforto.
    O que me surpreende são as “Carlas”, que conseguem ir contra princípios e valores (que eu sei que têm) por conta de uma curiosidade mórbida. Este comportamento não é mais que o reflexo de uma sociedade de cultiva a indiferença, a morte e a subjugação.
    Foi falta de espírito crítico…? Bem, acho que houve um momento que este tipo de pessoas (não é prejurativo) deixaram se SER.
    Tenho dito!

  9. Ana Coelho diz:

    Carla, para que a sociedade “sem violência” te perdoe vai ao site da NAAAS e arranja uma forma de te retratares!
    heheheheh
    😛

  10. Roger diz:

    Antes de mais, quero que fique bem claro que sou contra tudo o que é violência contra os animais, a tourada é apenas a ponta do icebergue! Não há desculpa que me convença a aceitar a violência gratuita contra qualquer tipo de animal ao cima da terra, ainda para mais por puro divertimento.
    Argumentos como: Se não fosse as touradas mtas raças de touros já estariam extintas, e uma tradição com mtos anos, etc…, etc… não convencem ng, a não ser aqueles que de facto “apreciam” este tipo de espectáculos, e eu não sou um deles, não mesmo!!! Só há uma coisa nas touradas que eu gosto (ñ em demasia) de ver, as pegas…e não me estou a armar em sarcastico, dou mesmo valor aos homens que enfrentam um animal daquela envergadura de mãos despidas, mas não deixa de ser um ambiente de stress para o animal.

    Mas sinceramente não excluo a hipotese de um dia assistir a uma tourada de morte. Uma coisa é saber que existe, ver um ou outro video na net comodamente no meu sofá e dizer que está errado. Outra coisa é ver as coisas como realemente elas são, ao vivo e a cores…se as touradas de morte existem, eu quero lá estar um dia assim como a Carla esteve (parece que só eu percebi o que ela quis dizer) e ver com os meus proprios olhos, pk sim, se existe, temos que ver…ver realmente por mais que nos custe, e quem sabe essa imagem real não me faça um dia juntar-me à Inês num protesto no Campo Pequeno;)

    Será que temos de ver tudo?
    Sim, quero revoltar-me com as coisas que reamente vivo, conheço, cheiro, sinto, fora de uma tela de um pc, ou de um programa televisivo cuidadosamente seleccionado, para assim poder mais conscientemente tirar as minhas conclusões, e quem sabe intervir, mesmo correndo o risco de ser chacinado como o touro!!!:s

  11. Jorge diz:

    Touradas é daquelas ditas “tradições” que já deviam ter passado à historia à muito tempo. Não vejo nenhuma bravura em andar a espancar um touro. Numa sociedade que se diz tão evoluída e em pleno século XXI, acho uma verdadeira vergonha. Já que estamos numa de tradições antigas porque é que a santa inquisição não volta é com cada uma, tradição…… isso não é tradição é simplesmente uma barbaridade despromovida de qualquer honra.

  12. EvilEve diz:

    Pois, esta questão das touradas e touros de morte tem sempre muito k se lhe diga… Eu cá, sou de Santarém e como muitas vezes lhe chamo, terra de touros e toureiros (blagh…palhaços)… Quando era jovem e inconsciente nada disto me fazia confusão até ao momento em k passei férias no sul de Espanha e assisti na tv a uma tourada de morte. Ora… não achei piada nenhuma ver durante mais de 2 minutos o desgraçado do touro com uma espada enfiada no cachaço, com as pernas dianteiras dobradas e as traseiras levantadas sem se levantar nem cair… A sangrar, a babar-se e num constante cambalear para se tentar pôr de pé. Mais de 2 minutos de sofrimento k mais pareceram 2 horas – e agora refiro-me ao meu sofrimento de ver o pobre animal k não havia maneira de morrer… Foi triste e diga-se de passagem traumatizante. Jurei para nunca mais!

    Bastantes adeptos de touradas (não especificamente de touros de morte) dizem-me que se não fossem as touradas os touros não existiriam, por ter sido uma raça criada especificamente para estes (tristes) eventos – pois bem, seja qual for a razão de existir destes animais, antes não existissem, ou antes acabassem com eles do que criá-los para deles fazerem objecto de diversão e tortura.

    Na wiki:
    “(…)Em Portugal as chamadas touradas de morte foram proibidas no tempo do Marquês de Pombal, a mando do rei após um trágica corrida em que faleceu uma grande figura nobiliárquica estimada pelo monarca.”
    …é o costume… é preciso morrer alguém para se fazer alguma coisa

    “(…)Em 2002 a lei foi alterada para permitir os touros de morte em locais justificados pela tradição, como na vila de Barrancos.(…)”
    Já agora… vivemos em sociedade? em democracia? Não, não é preciso responderem…
    (é irónico porque não me parece – não só em relação a Barrancos mas também em relação à nossa presente situação política, mas também já nem vou por aí)

    Bem sei que os animais no matadouro sofrem bastante, e eu cá sou bastante carnívora – não há nada como um belo bife de vaca mal passado…
    Mas fazer da tortura e morte de um animal um espectáculo???

    Esta é a minha humilde opinião em relação a touradas e touros de morte… em relação ao valer a pena ver, prefiro não ver – infelizmente vi e preferia não ter visto. Mas admito, valeu numa coisa – abriu-me os olhos para ser totalmente contra e abominar este tipo de eventos.

    Festa, tradição e cultura, my f*ckin ass…

  13. EvilEve diz:

    p.s. – este post é k vai ser uma grande TOURADA!
    looooool

  14. Ana Coelho diz:

    Epá Roger!
    Gostei muito do teu comentário, acho um pouco contraditório. Sem querer ser injusta ou mesmo ofender, pois não dá para separar o facto da pessoa que fez o comentário “temos que ver tudo na vida” ser tua companheira, fico um pouco baralhada com o argumento “Não há desculpa que me convença a aceitar a violência gratuita contra qualquer tipo de animal ao cima da terra, ainda para mais por puro divertimento.” (que me parece bastante racional) com a frase mais abaixo que diz “se as touradas de morte existem, eu quero lá estar um dia assim como a Carla esteve (parece que só eu percebi o que ela quis dizer) [pois parece que sim] e ver com os meus próprios olhos, pk sim, se existe, temos que ver…”.
    Sinceramente… não temos que ver, se não concordamos com a sua existência. Não concordar é bastante diferente de ignorar.
    Portanto, posso não ver porque não quero nem saber, porque não me afecta, ou posso não ver porque é de mau gosto, desumano e cínico. depois a atitude que tomo se quero intervir (dar continuidade ou parar) ou não é outra história.
    Sendo assim… não acho que tenha que ver para saber o que é… não tomo cicuta para ver qual é a sensação, não faço os outros sofrerem para assistir a reacções e tomar conclusões.
    Mas aceitam-se os pontos de vista… e fico contente pelo menos que digas que não gostes mesmo que não te importes de assistir (talvez com a Carla) e a gritarem os dois OLÉ! (brincadeira amigo!)
    Bjs

  15. Pedro Cavaco diz:

    Boa tarde a todos!
    Eu não apoio tradições primitivas e selvagens onde os animais são sacrificados e maltratados por pleno gozo do homem.
    Seja tradição espanhola onde matam os touros ao fim em plena arena, ou seja tradição portuguesa onde acabam também por matar o touro mas não á frente de toda a gente, eu acho uma autêntica atrocidade!
    Relativamente á questão: “Nesta vida tem de se ver tudo!” – acho que cada um tem a opção de ver aquilo que quiser ver. Ninguém é obrigado a ver animais a serem maltratados.
    Deixo-vos um vídeo que não é para pessoas sensíveis. Eu depois de o ter visto fiquei arrependido de o ver. Trata-se da realidade, nas quintas de peles na china, onde os animais são violentamente maltratados e mortos com a maior frieza. Aconselho a Carla a ver, porque isto sim é uma coisa que toda a gente devia ver e batalhar para que termine.

    http://www.peta.org/feat/ChineseFurFarms/index.asp

  16. Já vi o video e concordo com o Pedro, é uma atrocidade

  17. Ana Coelho diz:

    Sou testemunha: Ela estava com uma cara!!!!

  18. Roger diz:

    Olá Ana.
    Não vejo onde o facto de querer ver um dia com os meus próprios olhos,
    torne contraditório o meu comentário.
    Até hoje nunca vi nenhuma tourada ao vivo, mas se tiver oportunidade, um dia lá estarei…mas com toda a certeza não será por prazer, mas isso já tu sabes, ou não?! É apenas a minha maneira de lidar com a situação, não me basta apenas dizer que não gosto, preciso perceber o que motiva as pessoas, o que as faz continuar a viver no passado quando todo o mundo à sua volta mudou. Mas isso sou eu!
    Desculpa se te baralhei rapariga!!! lol Pelo teu final foi notório, a Carla duvido que vá a mais alguma, já viu uma vez e chegou-lhe, e eu, a unica vez que verei com certeza não estarei a gritar olé?!!!

    Que fique bem claro, eu abomino touradas.

    Bjs

  19. Pedro Cavaco diz:

    Oi Roger, tudo bem?
    Eu acho que nós para percebermos o que motiva as pessoas a verem animais a morrer, a matar outras pessoas, a violar, a serem pedófilas, etc, não precisamos de estar presencialmente no espaço para entender que é uma autentica insanidade isto tudo. Há coisas que são inexplicáveis para uma pessoa que tem valores morais…
    Acho que ir a Barrancos, pagar uma entrada para estar num recinto a ver um touro a ser maltratado até á morte é estar a compactuar com todas as pessoas insanas que estão por detrás de tal espectáculo e que vivem ás custas de touradas. Era incapaz de dar dinheiro para tal evento! Contribuia sim e contribuo para organizações como a PETA, a Green Peace, a União Zoolófica Portuguesa e a Sociedade Protectora dos Animais (sócio nº 12729)..
    Abraço!

  20. Roger diz:

    Olá Pedro.
    São opiniões, e obviamente respeito a tua e agradeço-te o comentário.
    A insanidade explica algumas atrocidades que descreveste no inicio, mas
    no caso de Barrancos, pessoalmente não acredito que seja insanidade. Confesso que me assusta um pouco pensar que toda aquela gente é insana…ñ é tão simples como isso.

    Abraço

  21. Inês Gonçalves diz:

    Meus amigos…

    Depois de muita leitura, tenho só algumas coisas para dizer, e mais não digo…

    Em primeiro lugar, digo-vos já que me fez muito feliz saber que todas as pessoas que comentaram este post são contra esse espectáculo deprimente que são as touradas… porque isso siginifica que somos cada vez mais jovens contra este tipo de coisas, o que me leva a ter esperança de que no futuro isto vá mudar, e que estas falsas “tradições” vão acabar!

    Achei bastante útil o esclarecimento dado pelo Cyril relativamente ao conceito de “tradição”. Eu própria, que desde há algum tempo tenho investigado sobre estes assuntos, não me lembrei de tal coisa. Ou como diz a Senhora Dona deste Blogue (lol…), “antes de começar a discutir um assunto, há que definir conceitos”! Certíssimo!

    Já disse e repito que não há nada que leve a ver uma tourada… eu não preciso de ir a uma para saber como é, mais que não seja porque há tanta divulgação… e o que dizer das TVI, que torna ainda mais deprimentes as tardes de Domingo quando se lembram de pôr na programação espetáculos tauromárquicos?! E os videos do Youtube e etc. que mostram no nosso computador aquilo que não precisamos de pagar para ver?! Como aquele video que o Pedro pôs aqui para a Carla ver… eu não vi, e aliás, lembro-me que um dia recebi um mail de alguém que tinha um video do mesmo género… e digo-vos que só a descrição escrita do tal video me deixou a bater mal durante o resto do dia!

    Carla e Roger, gosto muito de vocês e respeito a vossa opinião… e digo-vos mais: se vocês acham que é preciso ver tudo para depois poderem julgar… ok! Vão ver! Digo isto porque tenho a noção de que ambos são pessoas sensíveis e que o triste espectáculo só vai reforçar a opinião que me parece que vocês já têm… mas lembrem-se daquilo que o Pedro disse, e que é importante: ao estarem a asistir, estão a sustentar os toureiros e todas as pessoas que usam o sofrimento, a humilhação e a ridicularização dos touros para fazerem dinheiro!

    Beijocas e um bem-haja a todos!

  22. Pois bem…li todos os vossos cometários e mantenho a minha opinião, fui a ver a tourada por curiosidade, nãp vejo mal nenhum nisso, mas continuo a pensar que deve ser como S. Tomé. ver com os prórios olhos para decidir se somos a favor ou contra. E a minha decisão é que sou contra e deve ser oviamente proibido. Nisso estamos todos de acordo. Mais não digo.

    P.S: já agora não paguei para ver

  23. Pedro Cavaco diz:

    Muito bem dizido Inês…lol

    Beijoka!

  24. Pedro Cavaco diz:

    Atenção! Reforço aquilo que disse anteriormente: Ovideo que coloquei o link é extremamente violento e não aconselho a ver a quem seja muito sensível e proncipalmente a quem tenha um cão como animal de estimação.
    Eu quando vi não consegui suster as lágrimas. É bastante deprimente!

    Kisses !

  25. Paulo Gabriel diz:

    Olá Ana. Este tenho de comentar, conheço alguns dos autores dos comentários, por isso permitam-me a pergunta..

    Que tal uma bela tarde numa esplanada a beber umas fresquinhas a bailar ao som de Flamenco, seguido dum jantar bem típico em que a especialidade é o porco preto. Fixe não?! E á noite ir curtir o espectáculo na praça, com grupos de cantares Alentejanos, Sevilhanas e outras musicas de influencia Árabe. Tem mais a ver c um concerto de musicas do mundo do que própriamente c a típica pimbalhada das festas de terrinha. Conviver e aprender c pessoas que falam um dialecto único. Sei do que falo, toda a minha família é Barranquenha!

    Isto tudo p dizer…epá…até me esqueci da tourada…
    QUEM NÃO QUER, NÃO VÊ!!!

    O que move a maioría dos “defensores dos animais” nomeadamente os anti-tourada, é um enorme sentimento de culpa que mora no subconsciente. E ao fazer disso a sua causa, tentam colmatar desenfreadamente esse sentimento!
    Eu tambem defendo os animais e tento fazer boas acções, lá está, tenho sentimentos de culpa… e assim sinto-me mais bonzinho…

    Fico contente com a quantidade de comentários sobre este tema, uma boa polémica sempre ajuda a publicitar os eventos.

    Beijinhos e abraços 😉
    Parabéns Carla!

  26. Ana Coelho diz:

    Só alguém de barrancos poderia entender a Carla… que por sua vez é de Setúbal! LOOLOLOLOOLOLOLOLOLOLOL
    Viva os ovos moles de aveiro!

  27. Pedro Cavaco diz:

    Sentimentos de culpa???? Com esta é que fiquei á “nora”. Sentimentos de culpa do quê?
    Eu defendo os animais por achar que eles têm direito á vida e por serem as coisas mais belas que existem á face da Terra. Agora por ter sentimentos de culpa, não tou mesmo a ver!!??
    Se eu tivesse mandado pedradas aos gatos quando era puto talvez tivesse agora sentimentos de culpa por ser mais consciente, mas não foi mesmo o caso!!
    Queres te explicar um pouco melhor?

    Acho que todo o resto da tradição é excelente e até não me importava de ir beber um copo ao som de músicas Arabes. Isso sim é uma tradição a manter!

    Um abraço pra ti Paulo!

  28. Roger diz:

    Grande tourada que vai para aqui!!! lol
    Senhor Paulo Gabriel, acho que devias levar uma cornada no “(o)”:D
    Mas à parte disso, o teu comentário suou-me a um convite?! Agora não te
    escapas, fiquei com agua na boca!!! Todos a Barrancos??? eheh

    Beijos e abraços

  29. Bem…não era para comentar mais nada, mas não resisti em comentar o post do Pedro.
    Realmente o Pedro “põs-me” a ver um video com uns chineses a esfolar cães vivos, vi e como disse é uma atrocidade. Agora, pus-me a pensar…será que poderemos comparar as duas coisas, a pura crueldade sem sentido dos chineses e a tradição ancestral dos barranquenhos. A mim custa-me um pouco fazer essa ligação.
    Seguindo essa ordem de ideias então também matar uma mosca ou insecto, pelo simples facto de nos estar a chatear, pode ser considerado uma atrocidade com animais.
    Venham as vossas opiniões

  30. Ana Coelho diz:

    Epá… vocês são todos muito opinativos o que é óptimo, mas nem por isso muito construtivos!
    Acho que todos já percebemos quem é a favor, quem é contra e quem ainda não sabe porque precisa de ver.
    Cavaco estou contigo! Há muito para fazer nesta área e junto a minha voz à tua para mudar este ciclo vicioso.
    Carla, acho que não tem muito fundamento o que escreveste, cada vez que que argumentas fico a pensar se queres que pensem que realmente és assim! Se podemos comparar as duas coisas, claro Carla… atrocidades são atrocidades, por isso é que não temos cadeias especificas pelos crimes. Já posso imaginar: Homicido no Alentejo (Barrancos), Roubo e Furto Algarve, Pedofilia em Lisboa, Corrupção talvez no Porto.
    São crimes contra animais, independentemente de que animais, quais os fins, etc, etc etc. E se tu comparas animais de grande porte que tem cerebro, sistema nervoso central com um mosquito recomendo-te a ires te informar um pouco mais sobre biologia.
    É que para falar das coisas também é preciso estudar um bocadinho! Isto serve para todos.
    Já se percebeu… O espaço era para discutir pontos de vista e não para mostrarmos que somos animais mais do que muitos animais.
    TENHO DITO!

  31. Inês Gonçalves diz:

    Lol… ok, eu tinha dito que não ia dizer mais nada, mas não dá para evitar 🙂

    Eu também não tenho sentimentos de culpa dentro de mim. Simplesmente adoro animais e acho que os devemos respeitar.

    Antigamente, as pessoas não tinham a sensibilidade que têm hoje em dia em relação aos animais. Achavam que estes eram inferiores ao ser humano. Isto falando em termos ocidentais. Sim, porque, por exemplo, as teorias budistas afirmam que o espírito que existe dentro do nosso corpo pode vir a reencarnar em animais… se é verdade ou não, não faço puto de ideia. Mas não eram os egípcios que adoravam os gatos e os consideravam supriores aos seres humanos? Ok, eu sei que estamos a falar de culturas antigas nas quais imperava muita crendice e superstição, mas por outro lado também falamos de culturas bastante evoluídas para o seu tempo…

    Hoje em dia, mesmo na nossa cultura mais ocidental, as pessoas parecem estar a ganhar maisor sensibilidade em relação ao estatuto dos animais. Não sou apologista de considerarmos os animais superiores a nós, mas sou apologista do respeito por eles. E digo sem qualquer pudor que, para mim, é tão horrível ver um touro a morrer na arena como ver uma pessoa a ser enforcada ou queimada viva!

    Por isso, Sr. Paulo/Trash: se quiseres convidar o pessoal para ir a Barrancos, eu aceito o convite 🙂 mas só se não for em época de touradas!!!

    Beijinhos!

  32. Ana Coelho diz:

    Vamos rezar para que o budismo não passe de teorias e não haja encarnação, porque o karma for real… estamos todos fodds!

  33. Paulo Gabriel diz:

    Ana, não devias estar á espera de tantos comentários, mas como eu já sei há muitos anos, ninguem fica indiferente a Barrancos.

    Por isso mesmo está toda a gente convidada a lá ir comer, beber e divertir á grande (polémicas aparte) tenho casa p todos!

    Um grande beijinho ás meninas, um abraço ao Pedro e uma cornada no “0” do Roger.
    Bem haja!

  34. Ana Coelho diz:

    Podes crer Trash… nem o aborto dava tanto que falar!
    Eu sou como à Poca, aceito o convite com o maior dos gostos, só precisas de marcar a data.
    Se houver tourada… vou ter de me ausentar para ir fazer protesto, enquanto isso podem em ir levar umas cervejinhas para molhar a garganta!
    Beijos gajo.

  35. Roger diz:

    Não era para fazer mais comentários, porque até já tenho medo!!! Mas os insectos são seres vivos que tb merecem o nosso respeito.
    Os insectos são organismos pecilotermicos (sua temperatura acompanha a do
    ambiente onde está). Eles possuem uma série de estruturas sensoriais,
    distribuídos em várias regiões de seu esqueleto, que captam as informações
    do meio e as levam ao cérebro, permitindo assim que o insecto tenha
    percepção das alterações do ambiente, podendo fazer com que eles “sintam
    dor” Obviamente não é possível afirmar que essa dor é igual à dos
    animais…mas para mim os insectos merecem tb eles o nosso respeito, ainda
    nós cá não andávamos já eles povoavam a terra. Se há alguma duvida em
    relação a eu gostar ou não de touradas, espero que o facto de eu respeitar
    e evitar ao maximo matar insectos prove o meu respeito por todos os seres
    vivos.

    Ainda à mto pouco tempo tive esta conversa com a Carla, para lhe explicar o
    pk de não gostar de matar insectos e tentar que as pessoas à minha volta
    não o façam, mas pareceu-me na altura que ela estava até mais informada que
    eu…embora me ache um pouco radical eheh mas eu sou assim.
    Quem não gostar azarito.

    beijocas

  36. Ana Coelho diz:

    AHAHHAHAHAHAHAH
    AHAHHAHAHA
    Na Wikipédia: “Os insectos são protostômios, triblásticos e celomados. Têm um sistema digestivo completo, consistindo num tubo que vai da boca ao ânus. [conheço muita gente com a mesma característica]
    O sistema excretor consiste em túbulos de Malpighi para a remoção dos dejetos nitrogenados e no intestino posterior para a osmorregulação: através do intestino posterior, os insetos são capazes de reabsorver água com os iões K+ e Na+ e, por isso, eles normalmente não excretam água com as fezes, permitindo-lhes conservá-la e, assim, sobreviver em ambientes áridos.

    A respiração dos insectos é realizada por um sistema de traquéias que transportam o oxigénio dentro do corpo. Estas traquéias têm aberturas na cutícula chamadas espiráculos, por onde são feitas as trocas gasosas. O sistema circulatório dos insectos, como nos restantes artrópodes, é aberto: o coração bombeia a hemolinfa através de artérias para espaços que rodeiam os órgãos; quando o coração se descontrai, a hemolinfa volta para dentro deste órgão.

    O complexo sistema nervoso é constituído por vários pares de gânglios ligados, fundidos, que se unem na região da cabeça e que formam uma massa cerebral. Esta massa se une a uma longa rede nervosa de gânglios ventrais que vai até a extremidade do abdómen.”
    (espero que a informação da Wiki seja tão certa como os erros ortográficos que ali são publicados)

    Na continuidade da primeira resposta que te dei Roger aqui fica mais uma vez um contra senso: “Mas os insectos são seres vivos que também merecem o nosso respeito.” Portanto são seres vivos. Mais à frente: “Obviamente não é possível afirmar que essa dor é igual à dos
    animais…” Ok! São seres vivos mas não são animais…
    Posto isto… Insectos ao Poder!! Porque não se fazem touradas com insectos? Era bem mais desafiante… já estou a imaginar… toureiro com duas agulhas de coser… tatatammmm… Olé!! Grita o povo mergulhado em entusiasmo!!
    Eu também não os mato insectos… estou a engordar uma melga que co-habita à um mês no meu quarto! Mas por falar nisso ela não tem “dado à costa”… será que a raptaram tipo Maddie!?
    Não estou a gozar… tirando a parte da Maddie…
    Claro!!
    Ou talvez não!?
    Já não sei…
    O que é que se discutia mesmo aqui!?!?
    Ups! Bzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

  37. Guigas diz:

    Querias umas respostas parvas não era???
    Acho que este tema foi amplamente discutido e ainda o continua a ser, no entanto não vais conseguir mudar a opinião dos “nuestros hermanos” ( ou lá como isto se escreve ) quanto a sua tradição. Penso que em portugal o movimento anti-touradas esta a ganhar alguma forma e possivelmente a curto/medio prazo as mesmas vão desaparecer ( pelo menos as de morte, peso que so existem mesmo em barrancos, certo? ).
    No entanto gostaria de deixar aqui, a parvoice da semana ( aqulela que me solicitaste ) utilizando uma frase tua : “Já agora tradição portuguesa/espanhola é andar os dois povos à paulada… também achas que deveria se manter viva a tradição!? ”
    Resposta : SIM . . . inclusivé eles podiam fazer de touro e nós de toureiro 😛 podia ser que assim eles percebessem.

    Beijinhos e abraços e muitas “touradas” na horizontal para vcs

  38. Roger diz:

    Ana.
    Sinceramente não percebi patavina do teu comentário lol Mas pelo “mto
    pouco” que consegui acompanhar, insectos não é ctg lol assim como respeito
    pela minha maneira de pensar ser completamente nula. Por isso vou deixar os
    meus comentários por aqui. As opiniões diferentes da tua são problemáticas
    no teu cantinho:'( com mto pena minha…
    Mas…
    Devias fazer um post sobre insectos, vá lá…faz isso por mim!:p
    Mas nada de incentivar touradas com os coitados!!!

    beijocas & PAZ amiga:)))

  39. CAO VADIO diz:

    Ok, ja vi que a discussao está séria. Portanto vou deixar um comentário um pouco mais leve, ou talvez apenas leviano (NOTA:leviano=leve+mediano, ou seja comentário leviano=comentariozito sem peso nem importancia)
    Perdoem-me portanto a brincadeira, sendo que brincar é bem mais saudavel que espetar um par de bandarilhas num touro. Aliás sou contra as bandarilhas serem tao compridas, os corajosos toureiros deviam espetar algo mais curto assim tipo uns palitos. Sempre davam a hipotese ao boi de poder coçar o cachaço e poder retribuir a gentileza á marrada, ou seja, enfiar um par de palitos á séria no cachaço do toureiro. Não sei se algum membro do Governo é do signo Touro, mas ando desde á algum tempo com vontade de distribuir uns ferros curtos pelo lombo de certos ministros. Isso sim deveria ser legalizado, e tou-me a marimbar se fosse um espectaculo cruel e violento. Até podia ser no meio do campo pequeno, que aquilo até ficou bonito e com um espetaculo desses encheria concerteza. Para terminar vou só mencionar a tematica das bifanas. Acho que deveriam acabar com a tourada e com as bifanas tambem, que os touros sofrem tanto na arena como no matadouro. Mea culpa, sou carnivoro.

    P.S. – Sou do signo peixe, e adoro bacalhau, coitado do bacalhau.

  40. EvilEve diz:

    Ah pois é…e eu cá sou caranguejo e detesto marisco… e esses???? k são metidos vivos na panela com a água a ferver?… hein?… kem é k daki gosta de uma ‘bela’ mariscada?

  41. Ana Coelho diz:

    Amiguito Roger,
    Ao contrário do que possas pensar as minhas opiniões não divergem das tuas totalmente (excluío a parte do tudo ter que ver). Penso exactamente como tu em relação aos touros, aos insectos, e a todos os animais. Eu nem consigo ver documentários onde se vê animais a comerem outros animais… quem me dera que eles fossem vegetarianos!
    Só que aquele último comentário foi só para deixar claro que estes comentários já deixaram de ter qualquer tipo de lógica porque se estava a debater uma tradição cultural, que a meu ver é obsoleta e de repente já se falava de mosquitos e insectos. Não sei se para vocês tem lógica matar um mosquito porque ele me está a picar e a infligir-me de alguma forma dor, ou estar a matar um touro porque me está a divertir…
    Provavelmente a única pessoa que vê a diferença devo ser eu, e talvez aqui lamentavelmente as nossas opiniões divergem.
    Se estiver num campo e um touro me vier atacar eu também me defendo… chama-se a isto instinto de sobrevivência. Se estou numa arena e vejo um homem e um leão (chamo divertimento macabro) se vir numa praça de touros um touro e um toureiro com bandarilha (chama divertimento macabro).
    Será que me fiz compreender!?
    Será que podem parar de levar tudo tão a peito porque os únicos que perdem nesta história são os touros.
    Tenho dito
    P.s. Roger paz também para ti!;)

  42. Pedro Cavaco diz:

    Epá, ja agora vamos chegar aos 50 posts!!

    Este é o 43º

    Eu não gosto de ervilhas! Bahhh!

    🙂

  43. Inês Gonçalves diz:

    E eu não goto de cenouras cozidas, LOLOLOLOLOLOLOLOL (Nº 44!!!)

  44. Pedro Cavaco diz:

    Então ficou tudo intimidado com as minhas ervilhas? E feijão verde alguém gosta?

    😦

  45. Pedro Cavaco diz:

    Bora lá chegar aos 50 posts pessoal!

    Acho que a WordPress oferece á Ana uma entrada pá tourada de Barrancos!

    Este é o 45º…

    Abraços e beojinhos!

  46. Ana Coelho diz:

    LOLOLOL
    Se me oferecerem uma viagem a Barrancos oferece-o a Carla (Brincadeirinha), mas ela já me avisou que “se pode ver de graça”.

  47. Inês Gonçalves diz:

    Tenho duas excelentes notícias para vocês:

    1º: Hoje começa o Avante!!!

    2º: Este é o 47º post (acho eu)!!!! 😀

    Beijinhos!

  48. EvilEve diz:

    ok, ok… eu ajudo…
    oh Inês, axo k a tua resposta já era mesmo a 48ª, logo, a minha será a 49ª… vá lá pessoal, só mais uma… heheheh

    tava-se a falar de k mesmo? ah! tb não gosto de percebes e torresmos…
    LoooOOOOoooOOOoooL

    Curtam aí o abante camaradas!
    😉

  49. Roger diz:

    Falando de coisas sérias, onde é que anda o homem que nos convidou a ir a Barrancos??? Já há dia? Ontem já era tarde!
    Senho Paulo Gabriel, manifeste-se…

  50. Paulo Gabriel diz:

    Ok, sorry… andei distraído na quinta da Atalaia!

    É uma questão de nos encontrar-mos. Eu vejo o Roger, tu vês a Carla e a Poca… a malta vê-se e combina.
    Até porque, e fica o recado Xõ Dona Ana, tambem temos de arranjar tempo para uns retratos das carantonhas Beinless. Ok?!

    (Espero que este tenha sido o comentário do cachimbo da paz…ou outra substancia qqr…)

    Beijos ; )

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s