a mágoa!!!!

Posted: Sexta-feira, Outubro 16, 2009 in Pensamentos

Sou merda em tudo o que faço,

Sou o engaço que fica aos magotes

Sou somente tristeza e muita frustração!

Não consigo fazer-me ouvir, não consigo fazer-me entender pela única pessoa a quem peço entendimento!

Na dor que me afoga… eu pretendo nadar, mas tu estás sempre a empurrar para baixo… sempre a puxar para o fundo!

Porquê?

Ana Coelho

Comentários
  1. CAO VADIO diz:

    Apetece-me desaparecer, n te kero fazer sentir pior ainda. N consigo deixar de querer estar contigo. Neste momento é o meu maior pecado, só pensar nisso. É essa esperança que me mantem alguma sanidade mental. Se isso te mete para baixo eu admito, sou culpado. Isso n impede de te dar o espaço que mereces. Tenho apenas respondido ás tuas mensagens e atendido os teus telefonemas. Não quero nem vou impor a minha presença seja isso de que maneira for. Mas não me posso anular, n posso deixar passar este momento sem deixar expresso aquilo que mais desejo, estar contigo.

  2. CAO VADIO diz:

    Tenho tido muitas saudades tuas. Saudades de tudo. Mas há alguns momentos realmente especiais. Não falo dos momentos de intimidade, esses são mesmo indiscritiveis. Falo de momentos como o nosso reencontro em paredes de coura, a noite em que dormimos colados, apaixonados, em paz. Falo do natal em que te ofereci as pantufas tigre, foi o sorriso mais lindo que já vi no rosto de alguem. Falo da noite em que nos beijámos pela primeira vez, de brincarmos com os narizes. Falo do meu dia de anos em que jantamos a luz das velas no Kais e tavas em pulgas pra me levares pra festa surpresa no chapitô. Falo do dia em que trouxeste pela primeira vez roupa cá para casa, e exigiste espaço nas gavetas para as tuas coisas. Falo nos dias em que pintaste quase sozinha o quarto e a sala, de quando pintaste a casa de banho. Falo de quando trabalhámos juntos no bar da festa do piaget. Falo da tenda que parecia uma gruta do batman, e da outra, que fomos buscar a alcacer do sal, eh eh eh. Falo de quando comprámos a nossa cama. Falo de quando conduziste na bosnia. Falo de termos ido andar 2 vezes na montanha russa na terra mitica. Falo de quando o meu carro ardeu e da lanterna batman. Falo de todos os cds dos joy division que me ofereceste. Falo do almoço no indiano logo depois de ter começado a trabalhar na PT, em que perguntei se querias namorar comigo de novo. Falo das mensagens que enviaste a dizer que querias tar a dormir enroscada a mim. Falo do prazer com fizeste a massa da pizza maravilhosa. Falo do dia em que fomos com o soestrova ao parque da paz e ficámos deitados na relva. Falo das vezes em que fui ter contigo passar o dia de natal em tomar. Falo dos momentos em que eu olhava para ti enquanto dormias descansada, e te fazia festas na cabeça. E de quando te levava ao colo da sala para a cama. Falo da foto que tirei de ti e da angela no dia em que terminaram o curso. Falo das vezes em que me pedias (com um sorriso lindo) para fazer massas. Falo da tarde em que fomos ver os moinhos de vento perto de amesterdao, e do filme que fizeste de lá. Falo da aventura á porta do parque de campismo no país basco. Falo de quando acertaste em cheio quando escolheste o restaurante onde levámos o eric e a jackie a jantar, o barbas ao por do sol. Falo de quando fui andar de bicicleta e levaste os teus patins para belem. Falo do lagarto que pintaste no armario e que adorei e tavas cheia de medo que eu nao gostasse, adorei e é uma das minhas coisas preferidas da casa. Falo do PC que me ofereceste e do orgulho que tenho por teres ganho aquele concurso. Falo do teu entusiasmo para ver maratonas de filmes no fantas. Falo da tua tatu doida, e de todos os aneis que comprámos juntos. Falo do ultimo carnaval em ovar, curtimos bué com o pessoal. Aquele video que faz toda a gente rir com musica dos tochapestana. Falo de quando comemos um burek em Ljubliana. Falo de todos os emails que me enviaste qdo estavamos em busca de um beu beu pra adoptar e de teres descobrido o esquema das burlas de vendas de caes na net. Falo de quando tivemos os dois de descalçar as botas em pleno aeroporto, e de na volta termos um saco de skunk que perfumava o avião, ah ah. Falo de estarmos na sala de convivio do nosso hostel em amesterdao a fumar e a rir. E de termos visitado o museu da heineken de borla mesmo á portuga. Falo do italiano que nos seguiu ate uma bomba de gasolina para oferecer um livro de poesia do proprio. Falo dos kilometros que conduziste em frança, fiquei orgulhoso com a tua determinação, senti-me seguro a dormir enquanto levavas o carro, soube tao bem. Falo dos puzzles que faziamos juntos. Falo da coragem que tiveste ao vir morar comigo, e da primeira vez que dormimos juntos em tomar. Falo do “e pumba, canadá”. Falo de quando eu espalhava envelopes e andavas pela casa a resolver enigmas. Falo do video que fiz para ti com banda sonora do ennio morricone, parece que te estou a ver a olhar pra esse video e a rir, disseste que tinha sido a coisa mais gira que já tinham feito para ti. Falo de quando fomos fotografar juntos as luzes de natal. Falo de quando jogaste playstation nua pra mim.

    Por outro lado todas as discussões que tivemos foram péssimas, sinto vergonha e angustia por isso. Sinto-me responsavel. Estarmos sempre juntos pode gerar atritos. Mas estarmos muito tempo sem nos vermos pode criar em mim ansiedades e expectativas que depois podem ser pouco saudaveis, principalmente porque eu não tenho tido a inteligencia de dialogar contigo acerca disso. Acho que uma solução equilibrada teria sido a melhor. Adoro fazer amor contigo mas tenho de entender que somos diferentes e não tens de estar sempre disponivel para mim, nem eu tenho de lidar mal com isso. Se falassemos de forma aberta e sem rodeios acho que teria sido a melhor opção. Nem eu tenho de ficar amuado por não fazermos amor, nem tu tens de te sentir de alguma forma constrangida por não o quereres. Os ciumes que ás vezes sinto não fazem qualquer sentido. Falo das vezes em que dizia que davas mais atenção as outras pessoas do que a mim. Foi algo de que nunca falámos de forma saudavel. Sempre te apontei o dedo. Errado. Deveria ter tentado dialogar contigo. Explicar-te que por vezes um pequeno gesto seria o suficiente para sossegar a minha falta de confiança. Falta de confiança essa de que nunca foste responsavel, tem a ver com a minha maneira de ser. Reconheço que o problema é meu, e foi tantas vezes fonte de discussão, mea culpa. Eu só precisava de ter sido mais aberto e honesto contigo e pedir algum tipo de apoio e atenção simples, uma festa ou um sorriso terias dado com o maior do prazer, eu sei, e teria evitado tantas cenas parvas que provoquei. Deveria ter sido menos orgulhoso e deveria ter-te dito isto. Culpa minha.

    Mas…

    …procurares o meu peito para encostar a tua cabeça e descansares, dormirmos juntos agarrados, cairmos para o lado depois de fazermos amor, passearmos de mão dada, ver cinema de mão dada contigo, beijar-te, sentir a tua pele quente e macia, abraçar-te, ver-te sorrir, fazer-te feliz. São as melhores coisas do mundo.

    Sinto orgulho por amar uma mulher inteligente, activa e dinamica, atraente, meiga e amiga.

    Tudo o que referi antes são boas razões para querer estar contigo, mais haverão.

    escrevi isto com todo o carinho e força que consegui reunir, escrevi para a tua razão e para o teu coração

    não espero resposta, só desejo que encontres um caminho que queiras seguir na tua vida, e muito honestamente que esse caminho nos possa trazer tantos momentos bons e bonitos como alguns dos que vivemos, e que tentemos de forma inteligente ultrapassar os obstaculos que na esmagadora maioria das vezes são criados por nós proprios (sinto vergonha e sinto-me responsavel por nos ter colocado nesta situação)

    No futuro gostava de fazer mais videos ao teu lado, de rir como um maluco por me fazeres cocegas á parva, e de respeitar as tuas decisões respeitando assim a pessoa que és. E no fundo, de te conhecer cada vez melhor e de descobrir mais mundo contigo.

    Podia estar aqui horas e horas a escrever, porque te sinto aqui no meu peito, apesar de estares aí longe a ler isto e provavelmente a pensar miserias de mim. Espero sinceramente voltarmos a estar juntos em breve. E tentar que isso seja algo saudavel para os dois e para quem nos rodeia. Perdoa-me o testamento, sinto muitas saudades tuas amor.

    Rui (em mais um novo record no testamento mais longo de sempre num comentário neste blog…)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s