Manifesto a mim

Posted: Terça-feira, Fevereiro 23, 2010 in Pensamentos

É dia de olhar para dentro…

Terminar revoltas.

Saborear o tempo que passou

E encerra-lo por fim.

Não quero viver aprisionada a factos que eu sei que estão errados. Sei qual é o caminho certo… Não quero mergulhar na pena, nem na dor. Tenho que me ouvir.

Os gritos ecoam cá dentro. Quero paz! Quero a estabilidade que sei que tenho.

Os medos assombram as nossas vontades e por vezes falta-nos o chão. Oiço com atenção as palavras amigas e tento rete-las cá dentro.

É tão fácil de me manipular. É tão fácil fazer-me sentir culpada… é tão fácil atingir-me!

Mas do farrapo que eu possa ficar, com todos os medos e angustias, vou em frente.

Não vou deixar que palavras ditas, malditas, me massacrem de morte.

Não vou permitir que uma culpa que não é só minha me afunde no arrependimento.

A vida é minha e só a mim me pertence. Sofrer todos sofremos… amar todos amamos e querer viver a todos nos invade.

Sobre este corpo, magro e cansado de tantas voltas eu me reafirmo em mim mesma.

Não sou louca por não te amar… seria louca se não voltasse a amar.

Ana Coelho

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s